Feeds:
Posts
Comentários

Imagem Extraída de: http://www.grandesmensagens.com.br/frases-de-irmaos.html

Por Lucas Lujan – Líder de Jovens da Betesda Sede / São Paulo

Contam que havia um pai com dois filhos: Leonardo e Pedro.

Desde cedo, ficou claro que havia um problema no relacionamento da família. Dizem que Pedro só comia porque alguns vizinhos lhe davam de comer. O pai mesmo, nunca se preocupou. Suas atenções estavam todas voltadas para Leonardo.

Pedro nunca ganhou uma roupa do pai. Todas que vestia eram doadas por quem se compadecia de sua situação. Por outro lado, Leonardo sempre usou roupas boas, capazes de fazê-lo sentir quente e confortável.

Quando perguntavam para o pai o motivo de deixar Pedro passar fome e frio, ele explicava que o tinha gerado para sofrer. Esse era seu destino. Já não era o caso de Leonardo: esse fora gerado para ser feliz.

Leonardo e Pedro cresciam. Leonardo sempre bem vestido e alimentado, enquanto Pedro amargava sua existência.

Certo dia, Leonardo disse para o pai:

– Pai, estou com fome.

– Poxa meu filho, vamos resolver isso agora mesmo! – respondeu o pai.

Foram até um restaurante onde Leonardo matou aquilo que o estava matando.

Na noite do mesmo dia, Pedro foi até o pai:

– Pai, estou com fome.

– Pedro, sinto muito. Gastei tudo o que tinha com o seu irmão – respondeu o pai, sem olhar o filho nos olhos.

Pedro foi dormir com fome.

Naquela mesma semana, numa conversa com o pai, Leonardo disse:

– Pai, preciso de um tênis novo.

 – Claro! Vamos até o shopping comprar um e resolver esse problema – retrucou o pai, entusiasmado em presentear o filho.

Assim, foram no shopping e compraram um lindo par.

No mesmo dia, Pedro se dirigiu ao pai:

– Pai, ainda estou com fome. Faz quase uma semana que não como nada.

– Pedro, hoje usei meu dinheiro guardado para comprar um tênis para o seu irmão. Você terá que esperar mais um pouco para comer – respondeu o pai, que jogava bafo com Leonardo.

Mais uma vez, Pedro foi dormir com fome. Por sorte, no dia seguinte encontrou uma vizinha octogenária que lhe deu um prato de sopa.

Era assim que a vida da família de se desenrolava. Todos do bairro conheciam o relacionamento deles. Uns achavam estranho, pois Pedro era rejeitado pelo pai, que não dava a mínima para as suas necessidades básicas. Outros achavam normal, pois Pedro havia sido gerado para sofrer, portanto, seu destino estava se cumprindo.

Leonardo entrou na faculdade, enquanto Pedro nem terminou o primário. Ele não conseguia acompanhar as atividades da escola, pois vivia desnutrido.

Desistiu também de pedir comida ao pai, pois nunca tinha obtido sucesso, e, na última vez, o pai simplesmente o ignorou.

Pedro já não comia há quase um mês. Suas forças estavam acabando, tinha dificuldade até para manter os olhos abertos. Ouvindo o pai conversar com Leonardo enquanto assistiam televisão juntos, Pedro ouviu a conversa:

– Pai, estou precisando de um carro para ir até a faculdade. Os ônibus estão sempre cheios, e o metrô mais perto de caso fica a 3 Km daqui!

– Léo, fique em paz. Amanhã mesmo compraremos o seu carro. Você não terá mais transtorno para se locomover – respondeu o pai, sorrindo para o filho.

Naquela mesma noite, Pedro fugiu de casa, se arrastando pelo chão, debaixo dos olhos do pai, que parecia não notá-lo. Engatinhou por apenas alguns quilômetros até morrer. Seu corpo não suportou a falta de comida e se entregou.

No enterro, o pai não derramou uma lágrima. Num determinado momento, pediu a palavra:

– Pedro nasceu para sofrer. Foi para isso que o gerei. A sua miséria já estava determinada. Contudo, vejam o Leonardo: esse nasceu para vencer. O gerei para fazê-lo vitorioso.

Leonardo, convencido pelo discurso do pai, sorria, orgulhoso, com olhar de superioridade.

Alguns poucos repudiaram aquela família, mas, estranhamente, muitos outros passaram a adorá-la.

Os que adoraram, a partir daquele dia, passaram a chamar aquele pai de Deus. Passaram a acreditar que Leonardo fora eleito para salvação. Em contrapartida, passaram a acreditar que Pedro fora eleito para a danação.

Depois de algum tempo, começaram a dizer Leonardo tinha o favor do pai porque lhe oferecia sacrifícios, favores, e coisas afins, enquanto Pedro nunca havia lhe oferecido nada. A questão girava em torno do ego de Deus. Para outros, a questão era a determinação a priori de Deus a respeito do destino de seus filhos.

Muitas teorias surgiram para explicar essa história – que nunca foi bem contada. O que se sabe é que todos queriam ser Leonardo. Assim, agiam com superioridade e orgulho – se julgavam eleitos.

Pedro se tornou um assunto obsoleto, indesejado, incômodo. Ninguém queria pensar sobre como Deus o tratava ou porque o havia gerado. A questão toda era a respeito de Leonardo e seu sucesso.

Há quem acredite nessa história sobre Deus pai. Até hoje falam sobre ele, que gera uns para a salvação e outros para a danação. Que dá a um filho tudo do bom e do melhor, e simplesmente ignora a miséria do outro. Fazem orações dia e noite para que ele, o pai, os trate como tratou Leonardo – porque ninguém quer ser Pedro.

Mas alguns, como eu, não acreditam. Não aceitam a existência de um Deus pai impassível, que trata seus filhos de forma arbitrária. Pensamos que é uma falácia criada por seres humanos sem coração.

 Imagem Extraída de: www.mariazinhas.blogger.com.br/cuidar2.jpg

Mais uma música maravilhosa do Paulinho. Ele fez para o tema do nosso I Acampamento da Igreja Betesda de Osasco. Linda!!!!!

Por Paulinho Pontes

O cuidar indica a trilha
Do compartilhar
Aceitando as diferenças
Tudo em prol de um bem maior

O amor é uma equação
Que se torna imenso ao dividir
Isso enobrece a vida
Se o nosso espelho for JESUS

Nós deveríamos andar
Com uma placa pendurada no pescoço,
Escrito em letras garrafais:
“Tenha paciência, pois estou em construção”

Mas eu quero caminhar
Ao lado do meu próximo
Pois o cuidar, de uns dos outros
Também é uma oração
E cada um faz parte dessa ponte
Se unindo ao coração de DEUS 

Por Marcio Uno

Imagem Extraída de http://www.cantodapaz.com.br/blog/2008/11/22/papai-noel-existe-natal/

Por Marcio Uno

“Querido Noel do Céu,

Há quanto tempo não falo com o Senhor, não é mesmo? Mas é claro que sabe o quanto a vida é uma correria: trabalho, estudos, igreja, etc. Já faz alguns meses que não lhe escrevo, porém nesta época de final de ano não há como me esquecer de ti, afinal comemoramos aqui no Ocidente o nascimento de seu Filho. Igrejas são lotadas pelos teatros, musicais, festas nas apresentações deste evento milenar, ficam entupidas por fiéis que buscam consagrar o próximo ano que há de vir e é lógico, aproveitam para fazerem seus pedidos, assim como eu realizo aqui nesta humilde carta.

Eu entendo que também está bastante atarefado ou melhor dizendo, sempre está, ainda mais em períodos como este, porém sei que dará prioridades a minha pessoa. Eu passarei na fila de petições. Sabes como fui um bom cristão neste ano: dei meu dízimo até de meu décimo terceiro, não faltei em nenhum dos cultos, isolei o pecado e o mundanismo de minha vida, não bebi, não fumei, não falei palavrão, não escutei músicas profanas, obedeci e honrei meus líderes espirituais até mesmo quando seus atos não eram coniventes com minha ética, sendo fiel aos princípios bíblicos de Hebreus 13:17 que ordena a submissão e obediência aos “anjos ungidos”.

Venho a Ti para pedir que, no próximo ano, eu esteja livre de todo o mal que assola a Terra e seja blindado espiritualmente. Que o sofrimento humano não me faça uma de suas vítimas e que os infortúnios, desastres e as contigências não me escolham no sorteio da vida. Suplico que espante de minha porta as doenças, os assaltos, o carro quebrado, as mortes de familiares e queridos, as injustiças. Sei que cumprirá esta promessa em minha vida, por que não é sua Palavra que diz no Salmo 91 (minha leitura diária) que nenhum mal alcançará seus servos, enviará seus anjos para nos proteger e nunca seremos atingidos?

Também escrevo pedindo para que 2010 seja um ano cheio de prosperidade e riqueza material. Que eu não perca meu emprego, seja multiplicado meu salário, eu possa trocar de casa e comprar um carro 0 km; Que o sucesso profissional seja o companheiro inseparável e que atenda minhas orações de colheita quando dizimo em Sua casa. Não se esqueça das muitas campanhas que participarei a começar em Janeiro com ”12 meses de clamor para 12 meses de benção”, aquela que faço todo o ano para ter sempre meu celeiro farto. Estou sendo bíblico, pois o Senhor declara em II Coríntios 9:6 que se semearmos muito, colheremos com abundância.

É lógico, também não posso deixar de esquecer das coisas espirituais. Clamo para que minha espiritualidade contigo aumente e derrame uma unção poderosa e sobrenatural em minha vida para realizar grandes prodígios, sinais miraculosos e curas espetaculares. Que eu seja conhecido como o grande Homem de Deus e sejam atraidas milhões de pessoas pelo meus feitos gloriosos. Fazes de mim um canal de benção de tal forma que eu possa percorrer o mundo viajando a lugares maravilhosos, comendo e se hospedando em hotéis luxuosos e lotando estádios em virtude de pregar o evangelho de Cristo. Para aqueles que realizam sua obra, é reservado como pagamento do serviço realizado comer o melhor dessa Terra (Isaías 1:19). Ah sim, tudo isso é para Tua glória Pai, bem como relata Romanos 11:36.

Continua…

Assim, além de pedir a ti, exerço e determino com a fé igual de Jacó, que lutou contra Deus e não o deixou ir até que tivesse sua benção liberada no céu.

Deixo minha Bíblia aberta para tomar posse o quanto mais rápido possível. Aguardo imediatamente suas renas celestiais!!!

Ah sim, ia me esquecendo dos agradecimentos: Já agradeço pelas graças que alcançarei em 2010″

De seu Filho preferido,

Eu, somente eu.”

Após ler a carta, o bom velhinho leva o papel junto ao seu peito, coça levemente sua barba e somente lhe resta com um semblante triste, um longo e profundo suspiro.

Por Marcio Uno
Pessoal, últimos dias para inscrição de nosso acampamento!!!! Vamos lá, garanta sua vaga!!!!

Imagem Extraída do link: http://clubedospoetasmortos.blogs.sapo.pt/2008/10/

Por Carlos Martinelli

“Quinta-Feira, 18 de Fevereiro de 2010

ESTA SEMANA TENHO QUE CONFESSAR QUE TIVE MEDO DE MORRER, POIS PASSEI POR UMA EXPERIÊNCIA QUE JAMAIS ESPEREI, PELO MENOS NESSA ALTURA DA VIDA.

SOMENTE COMEÇEI A SENTIR FORTES DORES ESTOMACAIS, PENSEI SER ALGO QUE COMI, E INICIEI RAPIDAMENTE AQUELES TRATAMENTOS CASEIROS QUE TODOS NÓS CONHECEMOS COMO GOTINHAS DE BUSCOPAN, SAL DE FRUTA E AI POR DIANTE, E FUI PRA CASA REPOUSAR.

PORÉM, NO OUTRO DIA, O QUADRO NÃO MELHOROU E MINHA ESPOSA PEDIU QUE EU FOSSE AO MÉDICO  E EU DISSE A ELA QUE TINHA ALGO MAIS IMPORTANTE A FAZER, POIS TINHA UMA REUNIÃO AGENDADA COM CLIENTE E NÃO PODERIA FALTAR. FUI PARA A REUNIÃO ME CONTORCENDO EM DORES E ASSIM QUE TERMINOU TIVE QUE CEDER AO QUE ACHAVA SER APENAS UM CAPRICHO DA MINHA AMADA ESPOSA E SEGUIMOS PARA O HOSPITAL.

CHEGANDO LÁ, ENCONTREI A DOUTORA NÚBIA, UM AMOR DE PESSOA, QUE LOGO JÁ SE AFINOU COM MINHA ESPOSA, POIS COMO SABEMOS MULHERES ADORAM CONVERSAS SEM SENTIDO. PASSAMOS A TARDE E PRINCÍPIO DA NOITE, ENTRE ASSUNTOS SOBRE A COR DO CABELO E FIZ ALGUNS EXAMES QUE ELA PEDIU, MAS EU ESTAVA PELOS CASCOS QUERENDO IR EMBORA, POIS A EMPRESA PRECISAVA DE MIM. MEU CELULAR TOCOU, SABE DEUS QUANTAS VEZES, A RESPEITO DE TRABALHO.

ATÉ A ESSA ALTURA JÁ NÃO SENTIA DORES, POIS AQUELES REMEDINHOS MILAGROSOS NA VEIA ERA DE 15 EM 15 MINUTOS. SOMENTE SENTIA RAIVA DAS DUAS E QUERIA IR EMBORA.

PORÉM, ALGO ACONTECEU QUE MUDOU AQUELE PRINCÍPIO DE NOITE RADICALMENTE, POIS CHEGAVA A SALA O RESULTADO DOS MEUS EXAMES. JÁ FUI LOGO PERGUNTANDO SE EU PODERIA IR PRA MINHA CASA E PARA MINHA SURPRESA, MEU MUNDO CAIU. A MÉDICA ME DISSE: – MEU AMIGO, DAQUI DIRETO PARA O CENTRO CIRÚRGICO. EU ESTAVA COM CRISE DE APENDICITE AGUDA, OU SEJA, A MAIS GRAVE DE TODAS EM QUE O PACIENTE PODE MORRER EM POUCOS DIAS, SE NÃO FOR SUBMETIDO A CIRURGIA.

NA VERDADE, A CIRURGIA CORREU TUDO BEM, GRAÇAS A DEUS, MAS AQUELE MEDO DE MORRER QUE SEMPRE CRITIQUEI NAS PESSOAS ASSOLOU MEU SER GRANDEMENTE. PENSEI EM MEUS FILHOS, NA MINHA ESPOSA, NOS MEUS AMIGOS, NOS MEUS IRMÃOS.

ACHO QUE APRENDI UMA LIÇÃO, POIS O VERDADEIRO SENTIDO DA VIDA NÃO ESTÁ NA RESSURREIÇÃO FÍSICA DE LÁZARO, E SIM NO AMOR QUE JESUS SENTIA POR SEU AMIGO. ENTÃO MEUS IRMÃOS, VIVAM UMA CRISTIANISMO DIÁRIO SEM COBRANÇAS, SEM MÁGOAS, SEM ORGULHO PRÓPRIO, POIS NUNCA SABEMOS QUANDO A MULHER VESTIDA DE PRETO COM UMA FOICE NA MÃO IRÁ NOS VISITAR.

ACHO QUE O MEDO DE MORRER VEM DO TEMOR DE NÃO TERMOS REALIZADO TUDO QUE SONHAMOS EM NOSSAS VIDAS. TALVEZ PORQUE COM TUDO REALIZADO, TEMOS A FALSA IMPRESSÃO DO DEVER CUMPRIDO.

SOMENTE UMA COISA TENHO CERTEZA: QUE AINDA TEM MUITAS VIDAS A SEREM TRANSFORMADAS COM NOSSO TESTEMUNHO E ACREDITO CLARAMENTE QUE DEUS ESTÁ POR TRÁS DE TUDO ISSO. NESSE MOMENTO SÓ POSSO AGRADECER A ELE POR MAIS ALGUNS DIAS DE VIDA.

UM ABRAÇO A TODOS!!!

CARLOS MARTINELLI”

E Se…

Imagem extraída do site: http://cascaisterraportuguesa.blogspot.com/2009/08/ler-pensar.html

Por Leandro Fonseca

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo

“Ah, se apenas tivéssemos acertado aquele número (Unzinho e eu ganhava a sena acumulada), topado aquele emprego, completado aquele curso, chegado antes, chegado depois, dito “sim”, dito “não”, ido para Londrina, casado com a Doralice, feito aquele teste…

 Agora mesmo, neste bar imaginário em que estou bebendo para esquecer o que não fiz, aliás, o nome do bar é Imaginário, sentou um cara do meu lado Direito e se apresentou: – Eu sou você, se tivesse feito aquele teste no Botafogo. E ele tem mesmo a minha idade e a minha cara. E o mesmo desconsolo. Por quê? Sua vida não foi melhor do que a minha? – Durante um certo tempo, foi. Cheguei a titular. Cheguei à seleção. Fiz um grande contrato. Levava uma grande vida. Até que um dia… – Eu sei, eu sei… disse alguém sentado ao lado dele. Olhamos para o intrometido. Tinha a nossa idade e a nossa cara e não parecia mais feliz do que nós. Ele continuou: – Você hesitou entre sair e não sair do gol. Não saiu, levou o único gol do jogo, caiu em desgraça, largou o futebol e foi ser um medíocre propagandista. – Como é que você sabe? – Eu sou você, se tivesse saído do gol. Não só peguei a bola como mandei para o ataque com tanta perfeição que fizemos o gol da vitória. Fui considerado o herói do jogo. No jogo seguinte, hesitei entre me atirar nos pés de um atacante e não me atirar. Como era um “herói”, me atirei. Levei um chute na cabeça. Não pude ser mais nada. Nem propagandista. Ganho uma miséria do INSS e só faço isto: bebo e me queixo da vida. Se não tivesse ido nos pés do atacante… – Ele chutaria para fora. – Quem falou foi o outro sósia nosso, ao lado dele, que em seguida se apresentou: – Eu sou você se não tivesse ido naquela bola. Não faria diferença. Não seria gol. Minha carreira continuou. Fiquei cada vez mais famoso, e agora com fama de sortudo também. Fui vendido para o futebol europeu, por uma fábula. O primeiro goleiro brasileiro a ir jogar na Europa. Embarquei com festa no Rio … – E o que aconteceu? perguntamos os três em uníssono. – Lembra aquele avião da VARIG que caiu na chegada em Paris? Morri com 28 anos. – Bem que tínhamos notado sua palidez. Pensando bem, foi melhor não fazer aquele teste no Botafogo… – E ter levado o chute na cabeça… – Foi melhor, continuou, ter ido fazer o concurso para o serviço público naquele dia. Ah, se eu tivesse passado… – Você deve estar brincando disse alguém sentado a minha esquerda. Tinha a minha cara, mas parecia mais velho e desanimado. – Quem é você? – Eu sou você, se tivesse entrado para o serviço público. Vi que todas as banquetas do bar, à esquerda dele, estavam ocupadas por versões de mim no serviço público, uma mais desiludida do que a outra. As conseqüências de anos de decisões erradas, alianças fracassadas, pequenas traições, promoções negadas e frustração. Olhei em volta. Eu lotava o bar. Todas as mesas estavam ocupadas por minhas alternativas e nenhuma parecia estar contente. Comentei com o barman que, no fim, quem estava com o melhor aspecto, ali, era eu mesmo. O barman fez que sim com a cabeça, tristemente. Só então notei que ele também tinha a minha cara, só que com mais rugas. – Quem é você? perguntei. – Eu sou você, se tivesse casado com a Doralice. – E? Ele não respondeu. Só fez um sinal, com o dedão virado para baixo … SUA VIDA NÃO É DECISÕES QUE VOCÊ NÃO TOMA, OU AS ATITUDES QUE VOCÊ NÃO TEVE, MAS SIM , AQUILO QUE FOI FEITO! SE BOM OU NÃO, PENSO, É MELHOR VIVER DO FUTURO QUE DO PASSADO.”